Miolos Bugados – Não te esqueço (Uma carta de Natal)

Eu me lembro de você.

Desde sempre se movimentando de um local para outro.

Nunca parando em sitio nenhum.

Aquilo que você pensa saber, não é nada comparado com aquilo em que necessitamos acreditar para diminuir o medo e a dor gigantes.

É preciso esquecer altas histórias e malfadadas baixas trajetórias.

Esquecer o mal que nos fizeram.

As humilhações e manipulações que fomos submetidos quando éramos jovens despreparados iludidos por mentiras.

Contos da carochinha, finais felizes.

Um dia também fui jovem.

Eles queriam nosso sangue, nosso sexo, nossa juventude, nosso dinheiro, nossa terra mundo e nossa herança.

Conseguiram quase tudo, mas não todos.

Digo isto, porque estava lá.

Vivi, vi e ainda estou vivo pra contar história.

Todo ano eu penso em você, lembro do que você foi e vejo o que você é.

Passo por imensas altas cordilheiras desumanas e com olhos potentes observo metrópoles.

Os assassinos estão se movendo aqui, ali e acolá.

Você está parado(a) observando, esperando, desejando acabar com pelo menos um.

Eles estão por toda parte e você não verá todos eles(as) chegando.

Os traiçoeiros.

Por trás de janelas indecifráveis observam caminhos.

Nas sombras geladas de edifícios ao poente também estão.

Pedestres de aparência ordinária espreitando pelo rabo dos olhos.

Você não vê mais as maravilhas, nem procura por explicações.

Realmente nem tudo tem explicação e isto é normal.

Mas…

Tudo vai se resolver.

Não precisa de nenhum tipo de comprometimento.

As coisas sempre se resolvem.

Às vezes para frente às vezes para trás, mas se resolvem, de uma maneira ou de outra.

Você realmente tem que lutar contra e derrotar eles.

Eles tem que saber que você é capaz de tudo e não medirá esforços para destruí-los levando eles a morte.

Ao esquecimento.

O que determina o fim das nossas vidas?

Uma série de acontecimentos aleatórios.

O sol beija a linha do horizonte em tons lentos.

Meus cabelos brancos violentamente sacodem fustigados ao vento glacial.

Minha pele é duro couro resistente a todo tipo de horror.

O pessoal se movimenta percorrendo algumas distâncias breves e outras demoradas.

Eu ando nas alturas.

Um dia é uma eternidade.

Eu danço nas tempestades para estar em toda parte.

Por causa disto, digo com alivio que tudo passa.

É preciso parar o relógio, porque é vital a sobrevivência esquecer aqueles diamantes cravados na asa do tempo.

Um dia seus olhos brilharão novamente.

Que nem estrelas.

Porque uma vida só não é o suficiente para te envelhecer a mente.

Quem são eles?

“Eles” é aquele(a) que quer tirar tudo de ti, seja por necessidade ou diversão.

Você me mandava cartas, eu nem sempre respondia.

Agora sou eu que já lhe escrevi várias sob as mais diversas formas, e sei que você não leu.

Nem ao menos percebeu.

Até Breve.

Feliz Natal!

Erga suas muralhas, afie suas espadas, estoque bastante alimentos e fique sossegado(a).

Esteja feliz e em paz com os seus.

A chama nunca apaga, apenas muda de lugar minha querida e amada criança.

Não se esqueça disto.

Assinado:

Papai Noel

🙂

.

cap-don't-you-forget

 

Anúncios

Linux Debian 9 Mate “amd64-mate+nonfree” – Guia Pós Instalação

Gosto muito de usar o sistema operacional Debian. É um projeto imenso mantido por uma comunidade mundial, não é uma empresa com fins lucrativos, apesar de que serviços Linux podem ser oferecidos em troca de ótimos pagamentos.

.

Não tem propaganda, não pedem contribuições, e mesmo assim o Debian está firme e forte há uns 25 anos graças a doações e colaboradores de todas as partes. Atualmente acredito que o Debian é fundamentalmente necessário para que as tecnologias continuem avançando, é uma das grandes engrenagens do mundo da gente e para finalizar, o Debian está presente em nossas vidas mais do que imaginamos. Tão próximo que a gente quase nem nota.

.

Vou instalar uma versão live desktop Mate que vem com firmware non-free o debian-live-9.2.0-amd64-mate+nonfree.

.

cap-dedian9-non-free-monitor-do-sistema

.

Executo este tutorial por minha conta e risco. Caso queira faça o mesmo.

.

Faço backup de tudo que eu gosto e/ou preciso que existe em meu HD para um outro lugar fora do HD, pode ser pendrive, DvD’s, HD Externo, etc…

.

Abro o terminal pelo menu do meu sistema Linux que não é Debian para obter o Debian. Vejo o simbolo “$”, quando estiver alterando o sistema ao executar “sudo su” e digitar a senha, o simbolo muda para “#”. para sair de “#” digito “exit”.

.

Para verificar a integridade da imagem baixo o sha256sum:

.

cd ; cd Downloads/ ; mkdir debian-live-9.2.0-amd64-mate+nonfree ; cd debian-live-9.2.0-amd64-mate+nonfree/ ; wget -c https://cdimage.debian.org/images/unofficial/non-free/images-including-firmware/9.2.0-live+nonfree/amd64/iso-hybrid/SHA256SUMS -O sha256sum-debian-live-9.2.0-amd64-mate+nonfree.txt

.

Depois baixo a imagem iso híbrida chamada de “debian-live-9.2.0-amd64-mate+nonfree.iso” com o comando abaixo:

.

cd ; cd Downloads/ ; cd debian-live-9.2.0-amd64-mate+nonfree/ ; wget -c https://cdimage.debian.org/images/unofficial/non-free/images-including-firmware/9.2.0-live+nonfree/amd64/iso-hybrid/debian-live-9.2.0-amd64-mate+nonfree.iso

.

Depois que o download pelo terminal via “wget” termina, verifico o que foi baixado digitando os comandos abaixo de cada vez:

.

cd

ls -t

cd Downloads/

cd debian-live-9.2.0-amd64-mate+nonfree/

ls -ta

du -h

.

Todos de uma só vez:

.

cd ; ls -t ; cd Downloads/ ; cd debian-live-9.2.0-amd64-mate+nonfree/ ; ls -ta ; du -h

.

Aproveito e baixo o torrent da imagem oficial com o comando abaixo:

.

cd ; cd Downloads/ ; mkdir torrent_debian-live-9.2.0-amd64-mate ; cd torrent_debian-live-9.2.0-amd64-mate/ ; wget -c https://cdimage.debian.org/debian-cd/current-live/amd64/bt-hybrid/debian-live-9.2.0-amd64-mate.iso.torrent

.

Verifico digitando um comando de cada vez:

.

cd

cd Downloads/

cd torrent_debian-live-9.2.0-amd64-mate/

ls -t

du -h

.

Todos de uma só vez:

.

cd ; cd Downloads/ ; cd torrent_debian-live-9.2.0-amd64-mate/ ; ls -t ; du -h

.

Eu me digo que este arquivo de torrent é usado por um programa que executa o arquivo baixando pedacinhos da imagem iso de outras pessoas que estão baixando o debian-live-9.2.0-amd64-mate pela internet. Para fazer isto no Linux uso os programas transmission, rrtorrent, qbittorrent ou deluge.

.

Vou verificar a integridade da iso baixada a “debian-live-9.2.0-amd64-mate+nonfree.iso” executando este guia abaixo:

.

Abro o terminal onde a imagem .iso foi baixada

.

Comando:

.

sha256sum debian-live-9.2.0-amd64-mate+nonfree.iso

.

O resultado deste comando serão números e letras que vou comparar abrindo o arquivo “sha256sum-debian-live-9.2.0-amd64-mate+nonfree.txt” com um editor de texto do meu sistema. O resultado, para mim, deverá ser igual a:

.

2c6ba1e16e50042143f1b52a2cbf5c0dab2ae12c8c69180128df9ff58ffc8adc debian-live-9.2.0-amd64-mate+nonfree.iso

.

Agora que tudo foi conferido, vou usar o programa “Etcher” para gravar a imagem em um pendrive usb. É muito fácil, simples, rápido e funciona para mim. O Etcher é muito intuitivo e fácil então não tem o que explicar, é abrir o programa selecionar a imagem iso, selecionar o pendrive usb (cuidado para não selecionar o seu HD), mandar gravar e digitar senha de administrador para permitir que o programa faça o serviço; porque no Linux, coisa séria só é feita com a permissão do usuário administrador do sistema. Eu não posso alterar nada no meu sistema sem minha senha de administrador, sem ser administrador “#” ter poderes de “su” ou “sudo” não dá para remover nem instalar nem um programa ou alterar nenhuma pasta do meu sistema operacional. Sem senha não dá nem para entrar no sistema. Isto é muito bom para a segurança do usuário creio eu. Porém até ontem não existia nenhum sistema 100% seguro e pelo que eu tenho notícia, hoje está na mesma situação de ontem.

.

Engraçado que na história nunca houve uma fortaleza que não pudesse ser vencida. Se não foi conquistada a força bruta, foi conquistada politicamente e se as duas técnicas anteriores não funcionaram, as fortalezas cairam quando o inimigo usou estratégia de isolamento, sem suprimentos, sem água depois de um tempo a fortaleza cai.

.

Se o Linux fosse uma fortaleza ela teria suprimentos inesgotáveis todos legalizados. Neste momento, poderes políticos não são eficazes pois o Debian por exemplo sabe tudo sobre direitos autorais, leis e copyright. A força bruta é inútil pois cada usuário pode reconstruir sua fortaleza em seu hardware em questão de meia hora na maioria dos casos. E por fim, usuário Linux que se preza tem pelo menos dois backups de tudo que gosta e/ou precisa. Imagino que isto é fato para a maior parte dos usuários Linux de 16 anos até 50 anos. Nunca é tarde para aprender é só ter interesse em alguma coisa.

.

Visito o YouTube e procuro um vídeo tutorial de instalação do Debian 9, pode ser Debian 8 também.

.

Instalo o Debian. Antes de instalar formato o HD inteiro para ext4.

.

O primeiro comando pós instalação executo como root, usando o comando “su” pois o debian não vem com o usuário adicionado ao sudo, mas o usuário tem poderes administrativos de root.

.

su

.

Aperto enter

.

Digito a senha e aperto enter executo os comandos abaixo:

.

apt-get update ; apt-get upgrade -y

.

Aguardo o sistema ser atualizado. Poderia fazer a atualização usando os comandos abaixo também sem entrar como administrador (su) porque o su já está incluido no comando de atualização:

.

# apt-get install aptitude -y

# exit

$ su -c 'aptitude update'

$ su -c 'aptitude full-upgrade'

.

Configuro o sudo para o meu usuário enquanto o sistema está sendo atualizado abrindo outro terminal e digitando:

.

su -c 'adduser nome-do-usuário sudo'

.

Sem o comando acima eu não posso usar o sudo para instalar, remover ou alterar meu sistema, só como root usando “su”. O “nome-do-usuário” eu verifico com o comando:

.

$ whoami

.

Espero a atualização do sistema acabar.

.

Encerro a sessão e volto ao sistema e reinicio com o comando:

.

su -c 'shutdown -r now'

.

Após entrar no sistema de novo digitando minha senha, que eu criei durante a instalação e anotei, continuo a pós instalação.

.

Instalo estes programas abaixo:

.

sudo apt-get install curl wget apt-transport-https dirmngr -y

.

Para gerar um souce list para mim eu vou em https://debgen.xyz/ ou em lugar parecido.

.

Neste tutorial já tem uma source.list oficial. Eu uso tranquilo ela para PC e NoteBook Amd64, 64-bits na versão oficial estável do Debian 9.

.

CONFIGURANDO A SOURCES.LIST DO DEBIAN 9

(Esta parte é diferente, tipo não precisa pois estou usando o Debian non-free, mas eu executo mesmo assim para ver o que acontece.)

.

Faço primeiramente, uma cópia de segurança com o comando abaixo:

.

mv /etc/apt/sources.list /etc/apt/sources.list.bkp

.

Agora eu edito o source.list do Debian 9 com o comando que usará o editor de texto disponivel no meu Debian 9 (gedit, pluma, leafpad, mousepad, nano e outros):

.

sudo pluma /etc/apt/sources.list

.

Abre-se o arquivo de texto sources.list. Apago tudo nele, colo o texto abaixo, salvo o texto e fecho o Pluma.

#--------------------------------------------------------------------------#
# OFFICIAL DEBIAN REPOS
#--------------------------------------------------------------------------#

###### Debian Main Repos
deb http://deb.debian.org/debian/ stable main contrib non-free
deb-src http://deb.debian.org/debian/ stable main contrib non-free

deb http://deb.debian.org/debian/ stable-updates main contrib non-free
deb-src http://deb.debian.org/debian/ stable-updates main contrib non-free

deb http://deb.debian.org/debian-security stable/updates main
deb-src http://deb.debian.org/debian-security stable/updates main

deb http://ftp.debian.org/debian stretch-backports main
deb-src http://ftp.debian.org/debian stretch-backports main

# Fim do texto a ser copiado e colado na sources.list

.

Atualizo o sistema com:

.

sudo apt update

.

Ao editar a source.list eu acabo de dizer ao sistema, para que ele busque os pacotes da distribuição ESTÁVEL, sem abrir mão de software mais recente (atualizado), incluindo os pacotes não livres.

.

Se estivesse usando o editor de texto nano eu salvaria o arquvo de texto com ctrl+O, enter, ctrl+X.

.

De volta a janela do terminal, eu executo os seguintes comandos para inserção da chave keyring e atualizar os mesmos. Tranquilo.

.

sudo apt update ; sudo apt install deb-multimedia-keyring -y ; sudo apt install -f ; sudo apt update ; sudo dpkg --configure -a

.

AÍ EU ATUALIZO O SISTEMA COM O COMANDO ABAIXO:

.

sudo aptitude update ; sudo aptitude full-upgrade -y

.

DEPOIS EU REINICIO O SISTEMA:

.

sudo shutdown -r now

.

Aperto enter e o sistema vai reinicializar. Quando reinicializa, eu volto para este meu tutorial.

.

Há quem diga que eu gosto muito de reiniciar a máquina e que não há necessidade alguma de tudo isto. Eu sou um estudante e deste jeito e estou fazendo com o meu sistema e com o meu hardware as minhas custas, depois de muitas instalações de Debian ainda me sinto bem fazendo isto, o que mais posso dizer?

.

INSTALLO FIREWALL E SANDBOX:

.

sudo apt install gufw firejail seahorse -y ; sudo apt update

.

Ativo o Firewall com o comando abaixo sem o “$”:

.

$ sudo sh -c 'systemctl start firewalld.service ; firewall-cmd --state ; ufw enable ; ufw status verbose ; systemctl enable firewalld ; apt update ; apt install -f ; dpkg --configure -a'

.

Para instalar temas interessantes vou em:

.

https://semanickzaine.wordpress.com/2017/12/07/linux-instalando-um-tema-manualmente/

.

Instalo o youtube-dl com o comando:

.

sudo apt install youtube-dl -y ; sudo apt update

.

Para saber mais sobre o youtube-dl visito:

.

https://semanickzaine.wordpress.com/2017/12/05/linux-youtube-dl-comandos/

.

Instalo o aptitude:

.

sudo apt install aptitude -y ; sudo apt update

.

Instalo estes programas caso desinstale algum, é só voltar aqui e instalar novamente.

sudo aptitude update ; sudo aptitude install bleachbit gimp shotwell gparted gnome-disk-utility scratch geany musique transmission uget pinta smplayer wget liferea thunderbird gnugpg enigmail gedit gdebi dreamchess calibre comix mcomix fbreader youtube-dl musique p7zip unrar rar audacity thermald lm-sensors gconjugue firejail inkscape pinta mtpaint file-roller parcellite clementine chromium midori w3m fortune cowsay fortunes fortunes-br finger git bc links e-links ; sudo aptitude update ; sudo apt-get check ; sudo aptitude update ; sudo aptitude upgrade

.

Executo o comando abaixo para firejail:

.

sudo apt-get update ; mkdir -p ~/.local/share/applications; for profile in $(basename -s .profile /etc/firejail/*.profile); do if [[ -f /usr/share/applications/$profile.desktop ]]; then sed -r 's/^(Exec=)/\1firejail /' /usr/share/applications/$profile.desktop > ~/.local/share/applications/$profile.desktop; echo $profile configured to run in firejail; fi; done ; sudo aptitude update

.

Instalo o programa Screenfetch. Veja o que ele faz em uma janela ampla de terminal:

.

cap-screenfetch-debian-non-free-mate

.

Comando para instalar screenfetch:

.

sudo apt -y install screenfetch ; sudo apt update ; screenfetch

.

Isto é o suficiente. Para mais informação e para instalar mais programas pesquise aqui no blog. A pastinha acima do ícone SEMANICKZAINE oferece ampla opção de pesquisa. Tem vários tutoriais interessantes.

.

Captura de teste no VirtualBox 5.2.2

.

cap-debian9-mate-amd64-nonfree2

.

Acho que vou usar esta lista de aliases:

.
# ESCONDER USUÁRIO E NOME DA MÁQUINA
#
export PS1="\W \$"
#
# ATIVAR FIREWALLS
#
alias fire="sudo su -c 'apt install gufw firewalld -y ; systemctl start firewalld.service ; firewall-cmd --state ; ufw enable ; ufw status verbose ; systemctl enable firewalld'"
#
# LIMPAR O TERMINAL
#
alias c="clear"
#
# FECHAR O TERMINAL
#
alias e="exit"
#
# ROOT
#
alias rt="sudo su"
#
# DESLIGAR
#
alias desl="sudo shutdown -h now"
#
# REINICIAR
#
alias rbt="sudo shutdown -r now"
#
# ATIVAR ALTERAÇÃO ALIASES
#
alias sbrc="source .bashrc"
#
# ABRIR BASH_ALIASES
#
alias bashali="cd ; mousepad .bash_aliases"
#
# ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA
#
alias up="sudo apt-get check ; sudo apt update && sudo apt full-upgrade -y ; sudo apt install -f ; sudo dpkg --configure -a ; sudo update-grub"
#
# ATUALIAR DATABASE REPOSITORIOs
#
alias atu="sudo apt-get update"
#
# ATUALIZAR O GRUB
#
alias gru="sudo update-grub"
#
# INSTALAR
#
alias it="sudo apt install"
#
# REMOVER
#
alias rem="sudo apt remove"
#
# BUSCAR POR ARQUIVOS
#
alias sef="apt search"
#
# BUSCAR
#
alias busc="apt-get search"
#
# BUSCAR POR PACOTES
#
alias sep="apt cache"
#
# NAVEGAR PELA HOME
#
alias ..="cd .."
alias at="cd Área\ de\ Trabalho/"
alias vid="cd ; cd Vídeos/"
alias mus="cd Músicas/"
alias doc="cd ; cd Documentos/"
alias im="cd ; cd Imagens/"
alias dow="cd ; cd Downloads/"
alias raiz="cd ; cd .."
#
# O QUE TEM E ONDE ESTOU
#
alias otem="ls -t ; pwd"
#
# CAMINHO PARA DOWNLOADS PARA CRIAR PASTA
#
alias dwpt="cd ; cd Downloads ; mkdir"
#
# SEMI-SCRIPT
#
alias dia="echo ; echo 'Pelo calendário hoje é:' ; cal ; sleep 4 ; echo ; echo 'O dia e hora é:' ; date ; sleep 4 ; echo ; echo 'A máquina está ligada a:' ; uptime ; echo ; sleep 4 ; echo ; echo 'quem está usando a máquina:' ; whoami ; sleep 4 ; echo ; echo 'os usuários da máquina são:' ; w ; sleep 4 ; echo ; echo 'Que arquivos e pastas existem aonde estou agora?' ; ls -t ; sleep 4 ; echo ; echo 'Onde estou no sistema' ; pwd ; sleep 4 ; echo"
#
# ALIAS PARA COMANDOS DE DATA E HORA
#
alias d='date +%F'
alias agora='date +"%T"'
alias hoje='date +"%d/%m/%Y"'
#
# ALIASES HISTÓRICO
#
alias hm="history | more"
alias hg="history | grep -i"
#
# PARA OBTER INFORMAÇÕES DO SISTEMA
#
alias df="df -Tha --total"
alias du="du -ach | sort -h"
alias free="free -mt"
alias ps="ps auxf | more"

#
# ATALHOS PARA LISTAGENS DE DIRETÓRIOS
#
alias ll='ls -l'
alias lf='ls -F'
alias l='ls -al'
alias lm="ls -al | more"
#
# ALIASES ATIVAR SCRIPT
#
alias chm="chmod +x"
#
alias chma="chmod a+x"
#
# Atualizar usando apt-get
#
alias get1="sudo apt-get check ; sudo apt-get update"
#
alias get2="sudo apt-get check ; sudo apt-get update ; sudo apt-get upgrade"
#
alias get3="sudo apt-get check ; sudo apt-get update ; sudo apt-get dist-upgrade -y"
#
alias gfix="sudo apt-get check ; sudo apt install -f ; sudo dpkg --configure -a"
#
alias gfix2="sudo apt-get check ; sudo apt-get update ; sudo apt-get upgrade ; sudo apt-get dist-upgrade -y ; sudo apt-get install -f ; sudo dpkg --configure -a ; sudo update-grub"
#
# BASH COLORIDO
#
export PS1="\[\033[38;5;135m\]\u\[$(
)\]\[\033[38;5;15m\]@\[$(
)\]\[\033[38;5;10m\]\h\[$(
)\]\[\033[38;5;15m\]:\[$(
)\]\[\033[38;5;13m\][\[$(
)\]\[\033[38;5;6m\]\w\[$(
)\]\[\033[38;5;200m\]]\[$(
)\]\[\033[38;5;6m\]:\[$(
)\]\[\033[38;5;15m\] \[$()\]"

alias list='ls --color=auto'

.

 

Até Breve

.

🙂

.

Dicas e sugestões, são muito bem-vindas. Mantenha-se online e doe da maneira que puder.

Linux instalando um tema manualmente

Como instalar um tema manualmente no Linux?

.

O lance é baixar já renomeando ao mesmo tempo, criar a pasta para o tema em “/usr/share/themes/” e descompactar já enviando ao mesmo tempo o tema descompactado para a pasta criada para receber o tema em “/usr/share/themes/”.

.

Tento isto, usando o tema Cobibird.

.

Instalo o tema CobiBird no Linux.

.

Baixo o tema e renomeio com o comando:

.

wget -c https://dl.opendesktop.org/api/files/download/id/1501583714/1501583714-CobiBird.zip -O cobibird.zip

.

Resumindo acima:

.

wget -c link_de_download.zip -O novo_nome.zip

.

Uso o comando abaixo para criar a pasta para o tema no sistema:

.

sudo mkdir /usr/share/themes/cobibird/

.

O comando acima, precisa usar sudo porque vai criar uma pasta chamada “cobibird” em uma pasta do sistema a pasta “themes” e só o administrador do sistema tem este poder. Você escolheu, baixou a imagem .ISO de um sistema operacional Linux, instalou ela no seu computador, você é o administrador do seu sistema. O administrador pode tudo, pode até destruir o próprio sistema se quiser, claro que isto seria meio estranho de fazer. Seria contra-produtivo. Continuando…

.

Uso o comando abaixo para descompactar o arquivo baixado e mandar esta descompactação para a pasta de temas do sistema; a pasta que está em “/usr/share/themes” e se chama “cobibird/”:

.

sudo unzip cobibird.zip -d /usr/share/themes/cobibird/

.

Para fazer todo o processo acima de uma só vez:

.

cd ; cd Downloads/ ; mkdir cobibird ; cd cobibird/ ; wget -c https://dl.opendesktop.org/api/files/download/id/1501583714/1501583714-CobiBird.zip -O cobibird.zip ; sudo mkdir /usr/share/themes/cobibird/ ; sudo unzip cobibird.zip -d /usr/share/themes/cobibird/

.

Agora uso a ferramenta de definição de tema da minha distribuição para selecionar o tema cobibird.

.

Se depois eu quiser remover o tema do meu sistema, uso o comando abaixo.

.

sudo rm -Rf /usr/share/themes/cobibird/

.

Agora é executar o tutorial, pois a gente aprende Linux é fazendo. O tutorial é apenas um mapinha que vai me ajudar na execução, pois um tema bem feito dá uma ótima aparência ao sistema e facilita trabalhar no desktop.

.

Da mesma maneira eu posso instalar o tema Gnome-OSX-II-NT-2-6

.

Resumindo é só copiar esta sequência de comandos abaixo no terminal:

.

cd ; cd Downloads/ ; mkdir Gnome-OSX ; cd Gnome-OSX/ ; wget https://dl.opendesktop.org/api/files/download/id/1494791931/Gnome-OSX-II-2-6.tar.gz -O gnome-osx.tar.gz ; tar vxzf gnome-osx.tar.xz ; sudo cp -a Gnome-OSX-II-NT-2-6 /usr/share/themes/

.

O que aconteceu aí em cima quando eu usei estes comandos?

.

Fui para a minha Home, depois fui para a pasta Downloads, nela criei uma pasta chamada Gnome-OSX, depois baixei o arquivo tar.gz do tema para a pasta Gnome-OSX renomeando o arquivo para gnome-osx.tar.gz, ai então descompactei o arquivo e por fim copiei o que foi descompactado, uma pasta chamada de Gnome-OSX-II-NT-2-6, para a pasta “themes” que se encontra na raiz “cd /“.

.

A pasta “themes” está na raiz “/” dentro da pasta “usr” que está dentro da pasta “share”

.

Espero que este tutorial tenha sido útil a ti. Ele é para mim.

.

Até Breve

.

🙂

Linux youtube-dl comandos

youtube-dl comandos

.

Para instalar o youtube-dl no Debian e derivados:

.

sudo apt install youtube-dl -y ; sudo apt update

.

Para saber a versão do youtube-dl e mais:

.

apt show youtube-dl

.

Para verificar se há atualizações:

.

youtube-dl -U

.

Para saber somente a versão do youtube-dl usa-se um pipe “|” o comando “grep” com a opção “-i” e “vers” para filtrar o resultado:

.

apt show youtube-dl | grep -i vers

.

Resultado do comando acima:

.

[~]: apt show youtube-dl | grep -i vers


WARNING: apt does not have a stable CLI interface. Use with caution in scripts.

Version: 1:2017.11.15-1~webupd8~xenial0

.

Exemplos:

.

Para extrair video:

youtube-dl -c "https://link-do-video"

.

Para extrair apenas o áudio em mp3 a fórmula nestes dias é:

.

youtube-dl --extract-audio --audio-format mp3 -l "https://link-do-video"

.

FAÇA O TESTE.

.

Abaixo creio que extrai o vídeo e o áudio juntos:

.

youtube-dl -c "https://youtu.be/numeros-e-letras"

.

Extrai só o áudio:

youtube-dl --extract-audio --audio-format mp3 --audio-quality 0 "https://youtu.be/numeros-e-letras"

.

Extrai o áudio com melhor qualidade

youtube-dl --extract-audio --audio-format mp3 --audio-quality 0 "https://youtu.be/link-do-video"

.

Para escolher o formato do download:

youtube-dl -F "https://youtu.be/link-do-video"

.

O -F informa os formatos disponíveis de download.

.

Eu escolho um número correspondente ao formato que desejo.

.

youtube-dl -f 22 "https://youtu.be/link-do-video"

.

Atualizo todo o sistema do Linux Mint 18:

sudo apt-get update && sudo apt-get dist-upgrade -y ; sudo apt install -f ; sudo dpkg --configure -a ; sudo update-grub

(são dois tracinhos antes de configure)

.

Para baixar uma playlist inteira, copie a url da playlist e use o comando abaixo:

.

youtube-dl -cit https://link-da-playlist

.

Se não quer baixar a playlist inteira apenas uma parte, tipo do 4 ao 8:

.
Uso “--playlist-start” e “--playlist-end

youtube-dl --playlist-start 4 --playlist-end 8 https://link-da-playlist

.

Para baixar apenas os vídeos 3, 5 e 14 de uma playlist, tem esse comando abaixo:

.

youtube-dl -cit --playlist-items 3,5,14 https://link-da-playlist

.

Para também informar ao mesmo tempo os vídeos que gostaria de baixar na playlist e especificar o intervalo. Uso o comando abaixo:

.

youtube-dl -cit --playlist 3-6,7,9-12 https://link-da-playlist

.

Pode também criar um arquivo de texto com várias urls, abrir o terminal onde está este arquivo com as urls e executar o comando abaixo:

.

youtube-dl -cit -a nome_arquivo_onde_estão_coladas_as_urls_ou_links

.

Até Breve

.

Dicas e sugestões são muito bem-vindas! Mantenha-se conectado. Doe da maneira que puder.

FreeBSD Guia Pós Instalação 01

Linux testando o FreeBSD-10.3-RELEASE-amd64 no sistema Linux usando QEMU

.

O QUE É QEMU?

.

É um sistema completo de emulação, o QEMU cria (virtualmente) um PC, dentro de uma aplicação, com o uso do sistema operacional desejado.

Sobre o sistema operacional, ele oferece métodos variados para fazer a emulação.

Ele usa um processo chamado “tradução dinâmica” (dynamic translation).
O processo consiste em guardar na memória cache código do sistema visitante, já traduzido, para rodar na CPU hospedeira.

Desta forma, blocos de código traduzido podem ser reusados, a qualquer momento, sem ter que passar pelo processo de tradução novamente.

Também usa uma abordagem inteligente na tradução, com técnicas de compilação dentro do tradutor.

Este método dizem tornar mais ágil a compreensão de micro operações de uma plataforma para outra.

.

BAIXANDO O FREEBSD:

.

cd ; cd Downloads ; mkdir FreeBSD ; cd FreeBSD/ ; wget -c ftp://ftp.freebsd.org/pub/FreeBSD/releases/VM-IMAGES/10.3-RELEASE/amd64/Latest/FreeBSD-10.3-RELEASE-amd64.qcow2.xz

.

A SEGUIR DESCOMPACTO O ARQUIVO:

.

unxz FreeBSD-10.3-RELEASE-amd64.qcow2.xz

.

EXECUTANDO A IMAGEM DO FREEBSD:

.

Para rodar a imagem em uma máquina virtual com 256 MiB, uso a seguinte linha de comando abrindo o terminal onde a imagem está:

.

qemu-system-x86_64 -hda FreeBSD-10.3-RELEASE-amd64.qcow2 -m 256M -cpu qemu64 -name 'FreeBSD 10.3 64 bit'

.

O COMANDO ACIMA COMEÇA COM:

.

qemu-system-x86_64

.

-hda FreeBSD-10.3-RELEASE-amd64.qcow2 – roda a imagem baixada em um disco virtual (hda).

.

-m 256M – determina a quantidade de memória da máquina virtual.
Posso experimentar usar outros valores.

.

-cpu qemu64 – faz uso da cpu padrão, de 64 bit, do qemu.

.

-name ‘FreeBSD 10.3 64 bit’ – coloca um nome bonito no título da janela do emulador.

.

Pode escrever o que quiser entre as aspas.

.

PODE CRIAR UM MINI-SCRIPT PARA EXECUTAR O COMANDO:

.

Abro o terminal e colo o código abaixo nele. Este código cria o arquivo freebsd.sh com o comando de execução para o qemu e também dá permissão de execução. Abro o terminal onde está a imagem do FreeBSD e faço o que escrevi.

.

echo "qemu-system-x86_64 -hda FreeBSD-10.3-RELEASE-amd64.qcow2 -m 256M -cpu qemu64 -name 'FreeBSD 10.3 64 bit'" > freebsd.sh
.

Dou poder de execução ao arquivo criado:

.

chmod +x freebsd.sh

.

Para executar o script:

.

./freebsd.sh

.

PARA PODER COPIAR E COLAR ENTRE A JANELA DA MÁQUINA VIRTUAL DO FREEBSD E AS OUTRAS DO MEU SISTEMA HOSPEDEIRO, POSSO INCLUIR A OPÇÃO:

.

-display curses

.

qemu-system-x86_64 -display curses -hda FreeBSD-10.3-RELEASE-amd64.qcow2 -m 256M -cpu qemu64

.

Neste modo, a opção ‘-name’ não tem efeito mas permite por exemplo, copiar comandos de tutoriais direto na janela do FreeBSD.

.

GUIA PÓS INSTALAÇÃO FREEBSD

.

COMO LOGAR E CRIAR UM NOVO USUÁRIO NO FREEBSD?

.

Assim que chegar à tela de login, autentico como root (a senha estará em branco, por enquanto).

.

Após a autenticação, crio uma nova senha para o usuário root e um novo usuário com privilégios normais:

.

passwd

adduser

.

Depois de criar o novo usuário saio do root:

exit

.

Autentico com novo o nome de usuário criado.

.

E assim, começo a usar o sistema Unix FreeBSD. Como é um emulador há coisas no tutorial abaixo que podem não responder do modo que espero.

.

Faço update e instalo pkg para poder gerenciar pacotes com o comando abaixo:

.

pkg update

.

Verifico se há novos patches:

.

freebsd-update fetch install

.

Instalo eles se tiver:

.

pkg update && pkg upgrade

.

Faço o su funcionar no FreeBSD adicionando meu usuário ao grupo wheel:

.

pw user mod nome_do_usuário -G wheel

.

Habilitando o sudo:

.

pkg install sudo

.

O grupo wheel funciona para “su” é necessário editar o arquivo sudoers com o comando visudo. Digito:

.

visudo

.

Abre uma janela e vou descendo por ela com as teclas de seta até:

.

root ALL=(ALL) AL

.

E abaixo de “root ALL=(ALL) AL” adiciono:

.

nome_do_usuário ALL=(ALL) ALL

.

Determinando o relógio pelo lugar onde estou:

.

sudo tzsetup

.

Aparecerá um ambiente ncurses “Time Zone Selector” e vou escolhendo direitinho o lugar onde estou para o relógio e tudo mais ficar no horário da parte deste mundinho onde estou.

.

Determinando NTP daemon:

.

sudo pkg install nano

.

Agora é editar o arquivo responsável por iniciar programas no boot. Ele se chama rc.conf.

.

sudo nano /etc/rc.conf

.

Adiciono as seguintes linhas:

.

# Abaixo as linhas a serem adicionadas

ntpd_enable="YES"
ntpd_sync_on_start="YES"

# Fim das linhas a serem adicionadas

.

Into fará o ntp daemon iniciar no boot. A segunda linha sincronizará automaticamente com os servidores ntp quando o daemon iniciar. Posso reiniciar a máquina Unix FreeBSD para testar isto. Todavia, posso fazer isto sem reiniciar com o comando abaixo:

.

sudo service ntpd start

.

Criando o arquivo de Swap na pasta raiz e chamar de swapf que terá 2GB:

.

sudo truncate -s 2G /swapf

.

Após criar tem que dar permissão ao arquivo Swap:

.

sudo chmod 0600 /swapf

.

A próxima coisa a fazer é adicionar um dispositivo que será linkado a este novo arquivo e fazer ele montar durante o boot:

.

sudo sh -c 'echo "md99 none swap sw,file=/swapf,late 0 0" >> /etc/fstab'

.

Verificar se está ligado ao fstab:

.

cat /etc/fstab

.

Exemplo:

.

$ cat /etc/fstab
# Device Mountpoint FStype Options Dump Pass#
/dev/ada0s1a / ufs rw 1 1
/dev/ada0s1b none swap sw 0 0
md99 none swap sw,file=/swapf,late 0 0

.

A última linha é a importante neste caso, a “md99 none swap sw,file=/swapf,late 0 0”

.

Posso ativar o swap (swapon) com o comando:

.

sudo swapon -aqL

.

Pode verificar a informação do swap com o comando:

.

sudo swapinfo -g

.

Ativar o firewall ipfw editando rc.conf:

.

sudo nano /etc/rc.conf

.

Colo as duas linhas abaixo:

.

# Abaixo as duas linhas a serem coladas

firewall_enable="YES"
firewall_script="/usr/local/etc/ipfw.rules"

# Fim das duas linhas a serem coladas

.

A primeira inicia o firewall no boot a seguanda mostra ao firewall que é para procurar por regras. O próximo passo é editar as regras do ipfw.

.

sudo nano /usr/local/etc/ipfw.rules

.

O arquivo provavelmente estará vazio então colo o script abaixo:

.

# Início do Script

$IPF 70 allow all from any to any out keep-state
$IPF 80 allow icmp from any to any
# open port ftp

$IPF 110 allow tcp from any to any 21 in
$IPF 120 allow tcp from any to any 21 out

# 22 for ssh
$IPF 130 allow tcp from any to any 22 in
$IPF 140 allow tcp from any to any 22 out

# mail port 25

$IPF 150 allow tcp from any to any 25 in

$IPF 160 allow tcp from any to any 25 out

# dns (53) udp and tcp in
$IPF 170 allow udp from any to any 53 in
$IPF 175 allow tcp from any to any 53 in

# dns (53) udp and tcp out
$IPF 180 allow udp from any to any 53 out
$IPF 185 allow tcp from any to any 53 out

# http (80),

$IPF 200 allow tcp from any to any 80 in
$IPF 210 allow tcp from any to any 80 out
# deny and log everything
$IPF 500 deny log all from any to any

# Fim do Script

.

Salvo e saio. Agora devo iniciar o firewall com o comando:

.

sudo service ipfw start

.

Para ver as regras:

.

sudo ipfw list

.

Instalando o Bash:

.

sudo pkg install bash

.

É necessário um file descriptor file system vou adicionar isto ao fstab com o comando abaixo:

.

sudo sh -c 'echo "fdesc /dev/fd fdescfs rw 0 0" >> /etc/fstab

.

Agora vou montar ele:

.

sudo mount -a

.

Eu quero que o bash seja o meu shell padrão sempre que iniciar o sistema. Isto para o root e para a conta de usuário.

.

sudo chsh -s /usr/local/bin/bash nome_do_usuário

.

sudo chsh -s /usr/local/bin/bash root

.

Posso invocar o bash pelo shell ou reiniciar a máquina com o comando abaixo:

.

bash

.

Resultado de umas horas de pesquisa, estas são as coisas básicas que eu acho que devem ser feitas depois de instalar o FreeBSD. Faço isto totalmente por minha conta e risco. Caso deseje, faça o mesmo. Sempre digo isto.

.

NÃO É MOLEZA NÃO.

.

UNIX FREEBSD, O PROCESSO ATÉ CHEGAR A ESTE PONTO COMEÇA COM MAIS OU MENOS 30 (TRINTA FASES) SE ERRAR UMA DELAS… NA MAIOR PARTE DAS VEZES, TEM QUE COMEÇAR DE NOVO NA FASE NÚMERO 2:

.

1
Baixar o FreeBSD, verificar a integridade do FreeBSD

2
Iniciar o boot do instalador

3
Iniciar o processo de instalação

4
Escolher o leiaute do teclado

5
Escolher um nome para a máquina (hostname)

6
Selecionar componentes opcionais (doc, ports)

7
Escolher onde instalar (Entire Disk)

8
Escolher uma partição do disco (Auto (UFS)

9
Confirmar que vai apagar a partição escolhida para poder instalar o FreeBSD (Yes)

10
Escolher o formato da partição (MBR DOS Partitions)

11
Verificar particionamento e pontos de montagem

12
Commit mudanças ao disco

13
Iniciar o processo de instalação

14
Finalizar o processo de instalação

15
Definir a senha de root

16
Escolher uma network para configurar

17
Configurar IPv4 para a interface selecionada (Yes)

18
Configurar IPv6 (No)

19
Configurar dns

20
Selecionar uma região

21
Selecionar um País

22
Definir hora e data

23
Escolher serviços que irão iniciar no tempo do boot

24
Opções de hardenning o sistema (Default)

25
Selecionar para adicionar contas de usuário

26
Adicionar um usuário

27
Obter um sumário do usuário

28
Verificar mais uma vez e reiniciar

29
Primeiro boot e update

30
Verificar versão

.

Repetindo, todo este tutorial acima eu executo por minha conta e risco. Caso queira, faça o mesmo ok?

.

Até Breve

🙂

.

Fonte

Linux Fazer busca no Duck Duck Go pelo terminal

.

Uma ferramenta de busca do chamada de “ddgr” que eu acho que significa duckduckger. É opensource, foi feito para Linux e não é oficial do Duck Duck Go.

.

O ddgr suporta DuckDuckGo Bangs (https://duckduckgo.com/bang) e pode especificar o número de resultados da pesquisa, auto completar pelo bash, abre a url no browser de preferência o Firefox, tem opção estou com sorte, tem filtro de tempo, região, tipo de arquivo, etc e por fim, exige o mínimo de dependências.

.

Para baixar o ddgr para diversos sistemas Linux pode ir direto a página do desenvolvedor no Github.

.

https://github.com/jarun/ddgr/releases/tag/v1.1

.

Para distros baseadas no Ubu 16.04 LTS, tem como instalar usando o PPa abaixo:

.

sudo apt update ; sudo add-apt-repository ppa:twodopeshaggy/jarun -y ; sudo apt update ; sudo apt install ddgr -y ; sudo apt update

.

Para usar o ddgr abro o terminal (janela de 80X24) pelo menu do sistema.

.

Digito:

.

ddgr

.

Agora entro com o termo de busca.

.

Exemplo:

.

ddgr

.

linux semanickzaine

.

Resultado:

.

Please initiate a query.
ddgr (? for help) linux semanickzaine

(1) Tutorial Conky no Teu Desktop - semanickzaine [semanickzaine.wordpress.com]
2017 Titulo do Artigo: Linux-Como-Instalar-e-configurar-o-Conky.txt . Como Instalar e
configurar um belo Conky para o meu Desktop Linux? . Vou pesquisar... . Por ...

(2) Solus Linux Aprendendo a usar o EOPKG | semanickz [semanickzaine.wordpress.com]
2017 . . Usage: eopkg [options] [arguments] where is one of: add-repo (ar) - Add a
repository blame (bl) - Information about the package owner and release build (bi ...

(3) Semanickzaine - Ask Solus [asksolus.com]
Maybe you can install the player Atraci on Solus Linux ... Semanickzaine Level 2
Asked on May 22, 2017 in General. 307 views ; 0 ...

(4) ExTiX 17.7 with Budgie Desktop, Refracta Tools ... - Exton Linux [extonswe.wordpress.com]
ExTiX 17.7 with Budgie Desktop, Refracta Tools and kernel 4 ... Reblogged this on
semanickzaine and ... triple boot or multiboot Linux with Windows in a ...

(5) RaspArch Build 171102 - Exton Linux | Live Systems [extonswe.wordpress.com]
Exton Linux | Live Systems All ... Previous versions could only be installed when
running a Linux system. ... semanickzaine on ExTiX 17.7 with Budgie ...

(6) As 3 Melhores Distribuições Linux de 2017 para Iniciantes [www.tocadacoruja.net]
Maio 2017 Até este momento creio que as 3 melhores Distros GNU/Linux para iniciantes
deste ano são: ... Visite: SemanickZaine - Anotações, contos, ...

(7) semanickzaine [semanickzaine.blogspot.com]
semanickzaine domingo, ... Os Wallpaper Linux Ubuntu são famosos pela beleza e
praticidade. São belos nos pontos exatos da tela onde devem ser e, ...

(8) Install EncryptPad - An Encrypted Text Editor For Linux Ubuntu [websetnet.com]
Install EncryptPad, an encrypted Text Editor in Linux Ubuntu. Encryptpad is a secure
Text Editor for Ubuntu Systems that focuses heavily on privacy.

(9) Mabox Linux 17.02 is here! - MaboxLinux [maboxlinux.org]
After few months of development I'm happy to anounnce first version of Mabox Linux
17.02. Mabox Linux is Manjaro based distribution with lightweight and fast window ...

(10) How to install Atraci on Solus Linux Budgie? - Ask Solus [asksolus.com]
Maybe you can install the player Atraci on Solus Linux Budgie like ... To install

these dependencies on Solus Linux use the ... Semanickzaine Level 2 Asked on ...

ddgr (? for help)

.

Para limitar o número de resultados

ddgr --num 5 termo_de_busca
.

Para abrir imediatamente o primeiro resultado de busca que bater:

ddgr -j termo_de_busca

.

Pode usar argumetos e bandeiras para estreitar o resultado da busca, para conhecer estes argumentos uso:

ddgr -h

.

Exemplo do resultado:

.

[~]: ddgr -h
usage: ddgr [-h] [-n N] [-r REG] [-C] [–colors COLORS] [-j] [-t SPAN]
[-w SITE] [-x] [-p URI] [–unsafe] [–noua] [–json] [–gb] [–np]
[–url-handler UTIL] [–show-browser-logs] [-v] [-d]
[KEYWORD [KEYWORD …]]

DuckDuckGo from the terminal.

positional arguments:
KEYWORD search keywords

optional arguments:
-h, –help show this help message and exit
-n N, –num N show N (0<=N<=25) results per page (default 10); N=0
shows actual number of results fetched per page
-r REG, –reg REG region-specific search e.g. 'us-en' for US (default);
visit https://duckduckgo.com/params
-C, –nocolor disable color output
–colors COLORS set output colors (see man page for details)
-j, –ducky open the first result in a web browser; implies –np
-t SPAN, –time SPAN time limit search [d (1 day), w (1 wk), m (1 month)]
-w SITE, –site SITE search sites using DuckDuckGo
-x, –expand Show complete url in search results
-p URI, –proxy URI tunnel traffic through an HTTPS proxy; URI format:
[http[s]://][user:pwd@]host[:port]
–unsafe disable safe search
–noua disable user agent
–json output in JSON format; implies –np
–gb, –gui-browser open a bang directly in gui browser
–np, –noprompt perform search and exit, do not prompt
–url-handler UTIL custom script or cli utility to open results
–show-browser-logs do not suppress browser output (stdout and stderr)
-v, –version show program's version number and exit
-d, –debug enable debugging

omniprompt keys:
n, p, f fetch the next, prev or first set of search results
index open the result corresponding to index in browser
o [index|range|a …] open space-separated result indices, ranges or all
O [index|range|a …] like key 'o', but try to open in a GUI browser
d keywords new DDG search for 'keywords' with original options
should be used to search omniprompt keys and indices
x toggle url expansion
q, ^D, double Enter exit ddgr
? show omniprompt help
* other inputs are considered as new search keywords

Version 1.1
Copyright © 2016-2017 Arun Prakash Jana
License: GPLv3
Webpage: https://github.com/jarun/ddgr

.

Até Breve!

.

🙂

Atualizar o Linux Mint 18.2 para o Linux Mint 18.3

No caso aqui acho que é um upgrade total do sistema. Do 18.2 para o 18.3.

.

cap-linux-mint-18-2

.

Faço backup das imagens, documentos, vídeos e músicas que eu gosto e/ou preciso que estão na minha pasta Home.

.

Fecho todos os programas que estiverem abertos.

.

Desabilito a proteção de tela.

.

Abro o terminal pelo menu do sistema e digito:

.

sudo apt update ; sudo apt install screenfetch ; sudo apt update ; sudo apt full-upgrade -y ; screenfetch

.

Fecho o terminal com as teclas Ctrl-D e abro o Gerenciador de atualizações que está no painel do Linux Mint ou pelo menu do sistema.

.

Vou em:

.

editar > fontes de programas > PPA’S e desabilito todos os PPA’S, depois vou em Repositórios Adicionais e desabilito todos. Em Manutenção, clico em Limpar configuração residual, clico em Corrigir o problema na Lista de Update e recarrego o cache.

.

No Gerenciador de atualizações vou em:

.

Editar > Atualizar para “Linux Mint 18.3 Sylvia”

.

cap-atualizar-para-lm-18-3

.

Aparecerá uma Introdução e é só seguir as instruções.

.

cap-intro-atualizacao

.

Após o upgrade ser concluído vejo:

.

cap-upgrade-concluido

.

Antes de reiniciar o sistema eu abro meu terminal e por minha conta e risco executo:

.

sudo apt-get check ; sudo apt update && sudo apt full-upgrade -y ; sudo apt install -f ; sudo dpkg --configure -a ; sudo update-grub

.

Então fecho todos os aplicativos e reinicio o sistema usando o Menu do Linux Mint.

.

cap-screenfetch-LM18.3-wdp

.

Até Breve

 

🙂